de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 01 Abril , 2010, 19:36

 

 

 

Jovens da Universidade de Ciências Gastronómicas

de Pollenzo, Itália, visitaram Ílhavo

 

Mantendo a tradição de há quatro anos, esteve em Ílhavo, com o apoio da Câmara Municipal, um grupo de jovens da única universidade no mundo que se dedica às ciências gastronómicas e que se situa em Pollenzo-Itália (grupo Slow Food), onde acolhe jovens de vários países. Este grupo incluía jovens da Bielorrússia, Itália e Nigéria.

Vindo do Norte do país, onde visitaram o Minho e Trás-os-Montes, começaram por visitar o Museu Marítimo de Ílhavo, seguindo-se o navio Museu Santo André onde foram recebidos por uma delegação da Confraria Gastronómica do Bacalhau. Aí foram guiados pelo Confrade e antigo tripulante do navio, Cap. José Paulo.

 

O almoço foi servido a bordo e confeccionado pelo Cozinheiro Jorge Pinhão que apresentou uma ementa de derivados de bacalhau, composta por pataniscas, samos suados e feijoada de samos e arroz de línguas. Não faltaram as padas de Vale de Ílhavo e o vinho da Bairrada. No final o Confrade poeta Cachim recitou um poema em Italiano que foi do agrado de todos.

Seguiu-se a visita a uma empresa transformadora de bacalhau na Gafanha da Nazaré, terminando o dia com a visita à APOMA (ovos moles), em Aveiro, e com a caldeirada de enguias, num restaurante da cidade.

 


Editado por Fernando Martins | Quarta-feira, 05 Agosto , 2009, 19:27
Cenário do Festival de Marisco

Ria A Gosto – Festival de Marisco da Costa Nova


De 6 a 9 de Agosto, veraneantes e visitantes, bem como os residentes, podem saborear, no relvado da Costa Nova, o Festival “Ria a Gosto” – Festival de Marisco da Ria de Aveiro, numa organização conjunta do Illiabum Clube e da Câmara Municipal de Ílhavo.
Tendo como palco o Relvado da Costa Nova, com os seus coloridos Palheiros como cenário, o Festival de Marisco da Costa Nova tem como objectivo principal divulgar o marisco e “frutos do mar”, numa aposta clara nos produtos “Ria de Aveiro”. Assim, o Festival abrirá ao público amanhã, dia 6 de Agosto, pelas 18.30 h, encerrando no Domingo, dia 9, após o serviço de almoço. Durante estes dias serão servidos mais de mil quilos de variado marisco, do berbigão às navalhas, ou do camarão às santolas. Se faltar, nem sabe o que perde!

Editado por Fernando Martins | Terça-feira, 19 Maio , 2009, 19:39

Após a visita às regiões do Minho, Trás-os-Montes e Douro, alunos da Universidade de Ciências Gastronómicas de Pollenzo, Itália, estiveram na região, em visita de estudo, com o patrocínio da Slow Food Internacional, com sede em Bra, Itália, e que tem mais de 90 000 associados espalhados pelo mundo. Esta universidade recebe alunos de diversos países e neste grupo estiveram jovens do Japão, Áustria, Quénia, Equador, Suíça e Itália.
Esta foi a quinta vez que alunos daquela universidade visitaram Ílhavo, tendo estado no Museu Marítimo (instituição que, em 2006, recebeu, da Universidade Italiana, o título de “Sede Didáctica”), onde foram recebidos por dois funcionários do Museu e por uma delegação da Confraria Gastronómica do Bacalhau, com quem confraternizaram durante o dia, tendo-lhes sido oferecido, no bar Bela Ria, na Gafanha d’Aquém, um almoço da responsabilidade do cozinheiro Jorge Pinhão, que os brindou com bolos de bacalhau, carinhas fritas, pataniscas e Bacalhau à Confraria.
Seguiu-se uma visita às instalações da empresa de pesca António Ribau, na Gafanha da Nazaré, onde os jovens Italianos puderam apreciar as diversas transformações por que passa o bacalhau, desde o desembarque dos navios para a seca até à distribuição. O navio Santo André e o Jardim Oudinot foram outros locais da visita, terminando o dia em Aveiro onde estiveram nas salinas e na Apoma (ovos moles), antes de seguirem viagem para a região da Bairrada.

Carlos Duarte

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 23 Janeiro , 2009, 09:05
Membros da Confraria Gastronómica do Bacalhau

Amanhã, 24, em Ílhavo, vai decorrer o X Capítulo da Confraria Gastronómica do Bacalhau, prevendo-se a presença da maioria das Confrarias Gastronómicas portuguesas e espanholas.
Este ano, as festividades decorrem na Vista Alegre, com a concentração às 10 horas, no Centro de Visitas da fábrica, onde será servido a "patanisca de honra", seguindo-se, às 11, a Missa Solene na Capela Nossa Senhora da Penha de França onde actuará a Banda Música Nova.
No edificio do teatro da fábrica, às 12 horas, serão entronizados os novos Confrades e os Confrades de Honra, seguindo-se o almoço no refeitório da VA.
Os novos Confrades são Amândio Costa, António Pinho, Guedes Vaz, Hugo Filipe Coelho, Luís Leitão, Rui Dias e Vasco Lagarto.
Os Confrades de Honra a serem entronizados são Carlos Martins (Martifer), Bernardo Vasconcelos (V.A.), Pedro Machado (Turismo do Centro) e o Presidente da Câmara de Viseu.

Editado por Fernando Martins | Sábado, 17 Janeiro , 2009, 15:15
Caldeiradas de enguias de sabor único


Eu sei que gostos não se discutem, mas cá para mim, caldeiradas de enguias só no ZÉ-ZÉ, na Gafanha da Nazaré. Conheço-as desde a minha juventude, como já referi no meu blogue. E hoje, por estranha coincidência, no dia em que se recorda o falecimento do meu amigo ZÉ-ZÉ, de seu nome de baptismo Manuel José da Silva, que nos deixou em 17 de Janeiro de 1983, já lá vão, portanto, 26 anos, voltei a saborear uma esplêndida caldeirada de enguias. A regá-la, apenas um vinho da casa, muito bom. A fechar, um doce caseiro e um café.
Tive o prazer de ser servido pela sua neta Elsa, que conheço desde menina. Na cozinha, mostrou o seu bom gosto o neto Duarte, actual responsável pela casa. Os herdeiros do ZÉ-ZÉ continuam, assim, a respeitar a tradição de uma casa, cujo primeiro alvará data de 1936.
A enguia é rainha por estas bandas desde a primeira hora, tanto quanto sei. E o segredo da sua fama, como frisou a Elsa, está na família. Não há registo escrito da lavra do ZÉ-ZÉ, mas a sua neta garantiu-me que está bem guardado e gravado nos genes familiares. Daí, portanto, a fidelidade dos sabores a que nos habituou o fundador da casa.
Questionada sobre a relação entre a caldeirada à ZÉ-ZÉ e as outras, logo adiantou que não pode compará-las porque não as conhece. O que sabe é que a caldeirada criada pelo seu avô é conhecida em todo o lado. Há clientes que, periodicamente, aqui vêm de propósito para se deliciarem com um prato diferente.
A sala apresenta-se decorada com motivos marítimos, ao jeito da região. E não faltam registos de quem veio, comeu e gostou.
Por exemplo, em destaque, há um prato com dedicatória oferecido por um grupo de funcionários de um Banco, de Coimbra, com data de 4 de Abril de 1976, comemorativo de visitas gastronómicas entre 1967 e 1976, na quinta-feira santa. Reza assim:

Para sair
O totobola
Jogamos todos
Com fé
Mas só nos sai
Caldeirada
Preparada no Zé-Zé

Editado por Fernando Martins | Sábado, 12 Julho , 2008, 11:36
:
ATÉ 20 DE JULHO
::
Quem resiste a um bom prato de enguias de escabeche?

A Câmara Municipal de Aveiro organiza a Semana Gastronómica da Ria até dia 20 de Julho, com a participação de 18 restaurantes. Trata-se de uma iniciativa que conta com o apoio das Juntas de Freguesia da Glória e da Vera Cruz.
Os restaurantes foram convidados a apresentar uma “Ementa de pratos típicos Aveirenses”.
Os apreciadores da boa gastronomia aveirense não deixarão de aproveitar esta ocasião para se deliciarem. Faltar a uma festa destas é crime imperdoável, para gente de bom gosto.

Editado por Fernando Martins | Quarta-feira, 18 Junho , 2008, 12:13

"Um queijo fresco de cabra que ficou esquecido não se deita fora, deixa-se acabar de secar. Vai-se voltando e ao fim de uns dias, passa a ser um queijinho seco, que cortado em fatias finas, com um fio de azeite e umas bolachas de água e sal, é petisco dos bons."
Aqui ao lado, em Cultura, destaquei um blogue que faz falta a toda a gente: Chama-se ARDEU A PADARIA e vai servir para nos orientar em momentos de indecisão, quando chegamos à cozinha sem saber o que fazer para o almoço ou para o jantar. Mais ainda: também serve para preparar um petisco, em maré de apetites. Vá lá já!

Editado por Fernando Martins | Quarta-feira, 11 Junho , 2008, 12:05

III Concurso Gastronómico de Ilhavo, juntou 13 restaurantes do Concelho e o "Porão" da Gafanha da Nazaré foi o vencedor

Pelo terceiro ano consecutivo, a Câmara de Ílhavo organizou o III Concurso de Sabores a Maresia, juntando 13 restaurantes que apresentaram pratos de peixe, com especial incidência na ementa de bacalhau, que estava a concurso.
O júri foi composto pelo Presidenta da Câmara, Ribau Esteves, e por três Confrades das Confrarias Gastronómicas do Bacalhau, da Carne Barrosã, da Chanfana de Poiares e das Papas de S. Miguel.
Tarefa árdua, mas decerto gostosa, para o júri, que teve de provar os pratos a concurso dos 13 restaurantes concorrentes. Os quatro primeiros prémios ficaram assim distribuídos: "Porão", Gafanha da Nazaré; "Marisqueira", Costa Nova; "Casa Velha" (Hotel de Ilhavo); e "Mestre Palão", Gafanha da Nazaré.


Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 23 Maio , 2008, 23:02

De 30 de Maio a 1 de Junho, vai decorrer, no Museu Marítimo de Ílhavo, o II Congresso das Confrarias Portuguesas, por iniciativa da Federação das Confrarias Gastronómicas, Câmara Municipal de Ílhavo e Confraria Gastronómica do Bacalhau.
Estarão presentes cerca de 50 Confrarias Gastronómicas e representações de Confrarias de Espanha, França, Suíça, Cabo Verde e Macau, aguardando-se a confirmação de uma delegação brasileira.
Paralelamente ao Congresso, decorre um Concurso de Gastronomia, no Hotel da cidade, com a participação de 13 restaurantes do Concelho de Ílhavo, sendo o Júri constituído por elementos das Confrarias presentes. Das ementas, consta um prato de bacalhau e outro ao critério do restaurante. No dia 30, o jantar será de "partilha", isto é, cada Confraria apresenta o seu "prato" típico.
A Câmara convida as Confrarias presentes para um espectáculo no Centro Cultural, com a Filarmonia das Beiras e o pianista Bernardo Sassetti. Haverá ainda e a projecção do filme "Maria do Mar", no dia 31.
No encerramento serão homenageados o conhecido Chefe Silva, o industrial Rui Nabeiro e dois confrades fundadores da Federação das Confrarias Gastronómicas Portuguesas.

Editado por Fernando Martins | Sábado, 02 Fevereiro , 2008, 15:39



Ontem, no SEXTA, semanário gratuito, li um artigo interessante. “A água não serve só para matar a sede” foi assinado por Hugo Rodrigues e defende a ideia de que devemos escolher a água para beber conforme a comida. Isso mesmo é a aposta da Confraria da Água, cujo chanceler, Belmiro Couto, é um aveirense.
Diz ele, com razão, que nos restaurantes nos apresentam, normalmente, a Carta dos Vinhos. A da Carta da Água não existe. E a pergunta é sempre a mesma: com ou sem gás; fresca ou natural?
Ora, segundo Belmiro Couto, as águas não são todas iguais, tal como acontece com os vinhos. Sendo assim, há que saber pedir a água ideal para cada prato. Como recomenda o chanceler da Confraria das Águas, devemos consumir uma água “ácida e leve” para o cozido à portuguesa e “muito alcalina” e fresca para os pratos de bacalhau.
A meu ver, isto tem que se lhe diga. Como é que os consumidores podem conhecer essas diferenças? Talvez seja útil que os produtores passem a anunciar, nas garrafas ou por outra forma, os pratos que casam bem com as águas que comercializam.
Confesso que nunca tinha pensado nisso. Eu cá limitava-me a pedir a água natural e sem gás. Mas agora já tenho de pensar duas vezes, não me limitando a beber a água que me levam para a mesa, muitas vezes de marcas que não conheço de lado nenhum.
Estamos sempre a aprender.

FM

mais sobre mim
Junho 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO