de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 17 Julho , 2009, 18:40
No meu dóri, era eu o capitão...


João Zagalo, um doryman aguerrido - II

Contou-me uma história, que lhe deixou saudades, passada em Agosto, na Groenlândia, no Novos Mares, com o Capitão Pascoal:
– O navio deu a emposta (mudou de sítio) para arriar mais cedo. Deu uma pesquisadela. Disse o Capitão:
– Para fora, não tem nada. Ide para o lado de terra!

– «Vamos à vida, com Deus, vamos arriar!» – ordem do Capitão.

E a manobra do arriar começa. Eu, como era chasman (presumivelmente corrupção do inglês lastman), orientei, com outro camarada, a manobra de arriar.
Deduzi que o chasman era o dono do último bote do cimo da pilha, que não se desarmava. Tinha de ser um homem responsável, com jeito, traquejo e muita prática. Havia um chasman em cada pilha, que ajudava a arriar e a içar os botes e era sempre o último a partir para a pesca, depois de ter orientado estas lidas.
Eu, então, depois de botar as mãos no peitilho do avental para as aquecer, já que não trabalhava de luvas, remei de cu p’rà ré e fui p’ra fora, por estar mais desempachado (livre, disponível).
Larguei o trole e quando o grampolim chega ao fundo, comecei a sentir bacalhau na linha do grampolim. Bom sinal!
.
Ana Maria Lopes
Leia mais aqui
.
Nota: Texto e fotos do Marintimidades

mais sobre mim
Julho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO