de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Terça-feira, 02 Setembro , 2008, 14:25


Não há duas situações iguais. Mas há algo de comum na mole humana que invade as cidades no final de Verão, nas crianças e jovens que regressam à escola, nos emigrantes que de novo deixam a sua terra, nas aldeias que vêem outra vez partir os visitantes, nas comunidades cristãs que alteram a sua configuração nas celebrações e nas actividades pastorais. Junto a tudo isto o tempo, contado e gerido de outra forma, a disponibilidade para as pequenas coisas, o contacto directo e íntimo com o mar ou a montanha, os sabores da terra que nunca serão transplantados mesmo que se experimentem no local comum de habitação. E a referência ao húmus, à Terra Natal que por qualquer razão difícil de discernir, se deixou, se retoma e abandona com o role de recordações dum passado que tanto se critica e tão ciosamente se ama. E não se trata só da terra. Há pessoas, afectos, linguagens, ambiências, recordações, aventuras e dores comuns, histórias que se contam e só fazem sentido cruzadas pelo olhar de quem melhor compreende todo o cenário da nossa vida. Dir-se-ia que há transparências que só se vislumbram pela linguagem e pressupostos que as histórias comuns constroem.
Chega a hora de varrer a nostalgia e começar tudo, quase como se fosse de novo, com um arranque lento e uma espécie de preguiça dolosa que não é mais que o jogo de mudanças na caixa de velocidades que comanda o nosso passo. Tudo isto porquê? Porque se enquadra na nossa ancestral vocação nómada, peregrina, errante, misturada com os complexos acréscimos que as novas urbes, agregados e ferramentas de trabalho nos impõem. E a que o pão de cada dia obriga. Horários, técnicas, meios de transporte, especialização, leis de mercado, aceleração de mudanças, choque de valores, arritmia de transformações, tudo remexe o nosso íntimo e como que altera as leis milenares que nos deram uma forma de viver e conviver. Melhor? Pior? É a história, onde o plano criador e redentor de Deus tem um lugar, uma explicação e uma esperança de que o caminhar do mundo tem a sua dor e a sua grandeza no Génesis em marcha. E não é preciso muito mais para gostarmos de regressar ao trabalho.

António Rego

osátiro a 3 de Setembro de 2008 às 04:19
Rezemos pelos Católicos da Índia perseguidos e assassinados:

http://www.zenit.org/article-19338?l=portuguese

osátiro a 18 de Setembro de 2008 às 03:03
Na Arábia Saudita há 800 mil católicos, imigrantes explorados, mas as igrejas são proibidas e até em casa é perigoso rezar.

Ver em:
http://contraacorrente1.blogspot.com/2008/08/perseguio-aos-cristos.html

E também notícias de:
“ZENIT o Mundo Visto de Roma”:

“Arábia Saudita: presos quatro cristãos enquanto rezavam em uma casa [19-06-2006]

Preocupação por dois cristãos detidos por sua fé em Riad (Arábia Saudita) [22-06-2005]
Nova onda de detenções

Sete cristãos libertados na Arábia Saudita sob renúncia a praticar sua fé (em particular) [09-06-2005]
Foram maltratados durante sua detenção em Riad

Pedido de ajuda internacional para os cristãos presos na Arábia Saudita [08-06-2005]
Um apelo de seus familiares e amigos

Arcebispo de Lahore pede a liberdade de 40 cristãos encarcerados na Arábia Saudita [18-05-2005]
Pede a seu governo que faça pressão

Papa bate à porta dos países que não têm relações com o Vaticano [12-05-2005]
China, Vietnã, Coréia do Norte e Arábia Saudita

João Paulo II nas primeiras páginas dos jornais árabes [10-04-2005]
Segundo constata o representante papal na Península Arábica

Novo bispo vigário apostólico para a Arábia [21-03-2005]
Dom Paul Hinder substitui Dom Giovanni Bernardo Gremoli

Cardeal Medina Estévez, novo Cardeal Protodiácono [25-02-2005]
Tem a missão de anunciar e o nome do novo pontífice

Arábia Saudita: Polícia religiosa detém um cidadão saudita convertido ao cristianismo [21-12-2004]

Perigo de cárcere para os não-muçulmanos na Arábia Saudita [07-12-2004]
Inexistente reciprocidade de liberdade religiosa com outros países, denuncia o padre Cervellera

Um cristão nos cárceres sauditas por «evangelizar» [26-11-2004]
Após sua libertação, Brian Savio O´Connor compartilha seu testemunho

Libertado cristão indiano condenado na Arábia Saudita por questões de fé [04-11-2004]
Brian Savio O´Connor já se encontra em Bombaim

Apelo pela liberdade do católico indiano condenado na Arábia Saudita [29-10-2004]
10 meses de prisão e 300 chibatadas para Brian Sávio O´Connor

Católico indiano torturado por causa de sua fé pela polícia da Arábia Saudita [02-06-2004]
Acusações contra ele poderão comportar a pena de morte.

mais sobre mim
Setembro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10

20




arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO