de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Sábado, 23 Agosto , 2008, 09:56
" Quando no século XXI.. falamos de céu, inferno e paraíso, utilizamos metáforas. Não cre-mos que Deus, na sua infinita sabedoria, tenha criado um universo em que realmente existam estes domínios ultra-terrenos. Tão-pouco pensamos que a vida seja uma peregrinação que conduz a Deus. Nisto nos diferenciamos de Dante, o maior poeta da Idade Média." Aí está, com esta serenidade, a afirmação de entrada de uma breve introdução de Ch. Zschirnt à leitura de A Divina Comédia de Dante.
Reconhecendo, evidentemente, a perplexidade toda destas questões e que Dante se encontra no mundo das metáforas, será assim tão universal e transparente esta declaração de evidência na abolição de Deus e do seu mistério?
Ainda recentemente, o famoso antropólogo René Girard, por exemplo, à pergunta: "Crê que há algo para lá da morte?", respondia: "Espero, é a minha fé, um acto de vontade e de esperança. O cristão afirma que não pode reduzir-se tudo ao universo no qual se encontra. Que seja tudo como se nada tivesse sido parece-me demasiado abominável para ser real. Aposto na Realidade."
António Lobo Antunes também disse ao DN que se zanga com Deus porque permite o sofrimento. "O sofrimento sempre me foi incompreensível porque nascemos para a alegria." E não é a morte "uma puta"? Mas acredita. "A minha relação é a de um espírito naturalmente religioso, cada vez mais, não no sentido desta ou daquela igreja mas porque me parece que a ideia de Deus é óbvia." Não tem dúvidas? "Acredito sempre, mas a dúvida e pôr constantemente em questão é próprio da fé. Muitas vezes pergunto-me: será que existe? É óbvio que sim."
"Mas reza ou não?" Com as cruzes no horizonte, Eduardo Lourenço pensa e sorri. E responde ao Expresso: "Pode-me acontecer!"
Quem pode negar que as religiões também trouxeram ao mundo barbaridade, superstição, guerras, infantilismo? Afinal, o mundo seria melhor sem elas? A causa da indignidade está nas religiões ou nos seus crentes e funcionários que delas se servem de modo rasteiro e blasfemo para seus propósitos desumanos?
Anselmo Borges
Leia todo o artigo aqui
tags:

mais sobre mim
Agosto 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16





arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO