de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Sábado, 03 Maio , 2008, 09:17

Celebra-se, hoje, dia 3 de Maio, o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, instituído, em 1991, pela UNESCO.
O relatório “Worldwide Press Freedom 2007”, da organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras (RSF), afirma que Portugal está entre os dez países do mundo com mais liberdade de imprensa, a mesma posição que ocupava no ano transacto, numa lista de 169 países. Os países com maior liberdade de imprensa são a Islândia, a Noruega e a Estónia, enquanto que a Eritreia está em último lugar, seguida da Coreia do Norte e do Turquemenistão.
Angola é o único país lusófono onde não há liberdade de imprensa.
O mesmo relatório considera que o Brasil, Moçambique, Timor-Leste e Guiné-Bissau são países onde impera “liberdade parcial” de imprensa, enquanto Cabo Verde e São Tomé e Príncipe são os únicos países lusófonos com “liberdade total”.
A Eritreia, país africano que faz fronteira com a Etiópia e com o Sudão, é colocada, pela primeira vez, no último lugar da lista anual dos Repórteres Sem Fronteiras, substituindo, assim, a Coreia do Norte (168º), que antes ocupava essa posição.
Apesar da posição privilegiada que Portugal ocupa neste “ranking” mundial, tal não significa que liberdade de imprensa no país corresponda a isenção, rigor, objectividade, independência, informar para formar e pluralismo.
Sinal disto mesmo, são as diferentes reacções que os representantes da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC), do Sindicato dos Jornalistas portugueses (SJ) e da Associação Portuguesa de Imprensa (API) têm sobre a situação da liberdade de imprensa em Portugal, apresentando diagnósticos diferentes da situação actual.
A Comissão Nacional da UNESCO em Portugal, divulgou um comunicado em que aborda a situação do jornalismo no mundo.

Vítor Amorim

mais sobre mim
Maio 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO