de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Segunda-feira, 07 Julho , 2008, 22:43
O barco real na embocadura da Cale da Vila
Na Gafanha, aguardando a chegada do barco real
Forte da Barra: Ponto do embarque

Uma Visita Histórica - 27 de Novembro de 1908

No livro “D. Manuel II e Aveiro – Uma Visita Histórica (27 de Novembro de 1908)”, o autor, Armando Tavares da Silva, oferece aos seus leitores pormenores curiosos, através de uma escrita acessível e de grande rigor, mas também atraente. Leva, assim, quem gosta de história a interessar-se por este assunto, o de um Rei que passou pela nossa região, suscitando manifestações de carinho. E refere, ainda, a Gafanha, como terra de passagem.
A dado passo, e ao descrever o passeio fluvial, diz que próximo à ponte da Gafanha formaram alas, «mais de 800 cyclistas, perfilados ao lado das suas bicycletas e que á chegada de el-rei levantaram calorosos vivas». Nessa altura, uma comissão, “abeirando-se do automóvel real, entregou ao monarca uma representação em que pedia a revisão da «lei da contribuição sumptuaria no que respeita[va] a possuidores de velocípedes», e a suspensão do andamento dos processos em juízo”.
Mais adiante, salienta que depois da volta «Pessoas de todas as classes davam vivas a El-rei, misturando as suas vozes com as notas do hymno nacional tocado pelas bandas que vinham a bordo. Na margem, uma immensidade de povo, carros, cyclistas, etc., que o tinham ido esperar á Gafanha, faziam tambem a sua volta a Aveiro». «Desde a ponte da Gafanha até ás Pirâmides, o monarcha teve um verdadeiro passeio triunphal, aclamado pela multidão, que se apinhava nas margens, com verdadeiro entusiasmo».
Posteriormente, na Câmara Municipal de Aveiro, «El-Rei poz ao peito do barqueiro Antonio Roque, da Gafanha, uma medalha de merito, philantropia e generosidade, abraçando-se ambos enternecidamente».
Deste texto retiramos algumas curiosidades, que vale a pena comentar. A primeira diz respeito ao número elevado (oito centenas; é obra, há cem anos!) de ciclistas que se juntaram para saudar o rei, mas também para protestar contra um imposto que lhes estava a ser aplicado. Naquele tempo, ter uma bicicleta era um luxo, que obrigava a pagar o imposto sumptuário. Presentemente, pagamos impostos por tudo e por nada, mas, que eu saiba, não há impostos que incidam sobre riquezas sumptuárias ou sobre a ostentação de riquezas que ofendem a pobreza da maioria dos portugueses.
Depois, ficámos a saber que um gafanhão, António Roque, provavelmente o mestre que conduziu o barco real, foi homenageado pelo rei. Interessante seria saber quem foi ele e quem são os seus descendentes, porque Roques há muitos aqui na Gafanha. Haverá por aí a medalha e o respectivo diploma? Fico à espera de achegas!
FM
NOTA: As fotos desta página foram publicadas no livro que lembra a Visita do Rei D. Manuel II a Aveiro, em Novembro de 1908, da autoria de Armando Tavares da Silva. A sua publicação no meu blogue foi autorizada, como “Documento cedido pelo ANTT”.
FM

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
Julho 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds