de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 18 Janeiro , 2008, 17:04
O texto que aqui insiro enquadro-o na linha das reformas douradas, existentes no nosso País. Veio publicado no PÚBLICO de hoje. É certo que se trata de uma empresa privada, com liberdade para fazer o que entender, ao nível salarial. Mas que é um escândalo, aos meus olhos, lá isso é, sabendo-se como são as reformas normais dos trabalhadores portugueses, na sua grande maioria. Vejam:



"O ex-presidente da comissão executiva do Banco Comercial Português (BCP), Paulo Teixeira Pinto, saiu há cinco meses do grupo com uma indemnização de 10 milhões de euros e com o compromisso de receber até ao fim da vida uma pensão anual equivalente a 500 mil euros, 35 mil euros por mês, 14 vezes por ano. Quando o BCP divulgar as contas anuais de 2007, estas deverão incorporar uma verba de 22 milhões de euros, associada à demissão negociada de Teixeira Pinto, que entrou para o banco em 1995, assumindo a presidência em 2005."
tags:

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 18 Janeiro , 2008, 16:40

Na recta final da visita pastoral às paróquias da Torreira e S. Jacinto, diocese de Aveiro, D. António Francisco dos Santos realçou à Agência ECCLESIA que “é fundamental um bispo conhecer os seus cristãos no seu meio ambiente”. De 7 a 20 de Janeiro, o prelado de Aveiro caminhou com aquelas comunidades paroquiais.
Depois da preparação prévia – com os párocos e elementos dos conselhos pastorais – a visita pastoral deve obedecer a três vertentes: “parte celebrativa, encontro com os agentes de pastoral (iniciativas programáticas) e proximidade do bispo com as famílias e instituições (realidade socio-cultural)” – disse D. António Francisco Santos.
Nas paróquias da Torreira e S. Jacinto, o bispo de Aveiro encontrou-se com os agricultores, pescadores, comerciantes e autarcas. “Como são zonas de veraneio e que acolhem pessoas que vêm de fora é fundamental ouvir estas pessoas” – frisou. E acentua: “senti as alegrias e dificuldades deste povo”.
Na visita às escolas e unidade militar, o bispo deixou palavras de ânimo. “A Unidade Militar de S. Jacinto presta um grande serviço na promoção da paz”. Neste contacto promove-se um “diálogo entre a Igreja e a sociedade civil”.
tags:

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 18 Janeiro , 2008, 16:29

A propósito do texto e foto que inseri, hoje, neste meu espaço, recebi esta fotografia, enviada, gentilmente, pelo Ângelo Ribau, com a seguinte nota: "Tenho nos meus arquivos esta foto 'velha' do Forte. Não sei a data em que foi tirada, mas as águas batem contra a muralha do Forte. A barra devia ser a sul daquelo local, dado que não existia 'Triângulo'."
Não sabes, meu caro, mas talvez haja quem saiba. Ficaremos à espera.

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 18 Janeiro , 2008, 12:41

TESTEMUNHAR A FÉ É FUNDAMENTAL



Ano após ano, sucedem-se nesta altura, entre 18 e 25 de Janeiro, os encontros e reflexões sobre a unidade dos cristãos. É a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, normalmente animada por várias denominações que aceitam o ecumenismo, em diálogo e em oração. Em Aveiro, também, este ano num templo ortodoxo, em S. Bernardo, como refiro em Informações do meu blogue, haverá uma celebração ecuménica.
Penso que todas as iniciativas levadas a cabo nesta altura são importantes, pese embora a necessidade de se não ficar apenas por uma semana. É certo que os teólogos lá vão fazendo o seu trabalho, mas julgo que a nossa intervenção, ao nível do dia-a-dia, também necessita de ser uma realidade constante, e não esporádica, ao jeito de quem cumpre um ritual por obrigação.
Todos os anos costumo dizer que há muito o hábito de pensar que o ecumenismo mais não é do que o esforço que todos temos de desenvolver para que as Igrejas cristãs se acolham na Igreja católica, tornando-se numa só. Penso que o caminho não será esse, pois acredito que as Igrejas cristãs não católicas têm uma parte significativa da verdade, já que a totalidade dela está em Cristo e na unidade que Ele efectivamente representa e é.
Se todos os cristãos, os que aceitam Jesus Cristo como único Salvador e Redentor da humanidade, se congregarem em torno desta verdade essencial e fundamental, estou em crer, salvo o devido respeito pelos teólogos, que estaremos na rota certa d’Aquele que é o caminho, a verdade e a vida. Ora isto, que precisa das nossas orações, também não prescinde dos nossos contributos diários, como testemunhos autênticos da fé em Jesus Cristo.
Em ECUMENISMO, à margem, no meu Blogue, há textos cuja leitura recomendo.

Fernando Martins

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 18 Janeiro , 2008, 11:44

UM POUCO DE HISTÓRIA


Temos da convir que um qualquer motivo de interesse turístico ganha ou perde conforme o concelho a que pertence ou não pertence. Assim acontece com o Forte da Barra de Aveiro, localizado na ilha da Mó do Meio, Gafanha da Nazaré, concelho de Ílhavo, considerado imóvel de interesse público pelo Decreto - Lei n.º 735/74 de 21 de Dezembro, e completamente esquecido dos roteiros postos à disposição de quantos visitam esta encantadora região. Integrado numa outra região, talvez fosse mais lembrado pelos que têm responsabilidades no sector do turismo. É certo que o estado de abandono a que foi votado muito tem contribuído para que dali se desviem os mais sensíveis a tudo quanto de algum modo faça recordar o nosso passado histórico, muito embora se reconheça que o Forte da Barra não terá sido grande baluarte de defesa da foz do Vouga e desta zona ribeirinha.
Este antigo forte, denominado Forte Novo ou Castelo da Gafanha, é um imóvel do século XVII, embora haja quem o considere anterior. Trata-se de “uma obra do tipo abaluartado, restando, actualmente, uma pequena cortina de dois meios baluartes. Depois que deixou de ser necessária a defesa do Rio Vouga, foram edificadas construções sobre a cortina e o meio baluarte norte. Também o espaço existente entre os dois meios baluartes foi afectado. No baluarte sul foi erguida uma torre de sinalização mas, nesse lado, ainda é visível parte da escarpa, cordão e três canhoeiras cortadas no parapeito.
Os dois meios baluartes remontam, assim parece, a épocas diferentes. O flanco norte aparenta ser oblíquo à cortina, enquanto o do sul é perpendicular. Também as linhas rasantes não são do mesmo ângulo”. Esta é a descrição do Inventário Artístico de Portugal de Nogueira Gonçalves.
O Guia de Portugal da Fundação Calouste Gulbenkian acrescenta que a “torre de sinalização que aqui se ergue foi construída em 1840, sob a direcção do Eng. Oliveira Antunes”, e o Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses do General João de Almeida diz que “este forte teria sido construído durante a Guerra da Restauração e reconstruído nos anos de 1801 a 1802, em obediência ao plano de defesa do reino, elaborado nos fins do século XVIII” e que, em fins do século passado, perdida a sua eficiência militar, foi construída, contígua à fortaleza, da banda do sul, uma bateria rasa, de tiro de sinal para avisar a defesa da entrada da barra”.
A descrição do Forte da Barra de Aveiro, também conhecida por Forte Novo, sugere‑nos uma referência a um outro forte, o Forte Velho, que existiu na Vagueira e bem assinalado em diversas cartas, possivelmente construído com finalidades semelhantes pela mesma altura e há muito destruído. Aliás, sabe-se que a pedra dos seus muros foi aproveitada para a construção de parte da muralha da barra, quando ela ali se localizou. E é curioso que muitos se interrogam sobre qual deles é, afinal, o mais antigo.
A este propósito, consultámos os escritos do superintendente das Obras da Barra, Francisco António Gravito, que teceu as seguintes e curiosas considerações em 1781. “O forte conhecido com o nome de Velho o não merece senão pela sua ruína porque a inscripção de nua pedra que se acha entre as ruínas o declara feito em anno de 1643 pouco tempo para merecer aquele nome se não fosse a ruína como dizemos.
O conhecido com o nome de Novo, o vemos quase inteiro, sem memória do seu princípio com os seus materiais, indicando sua antiguidade maior, que estes 138 anos que tem o chamado Velho.
Se fosse mais moderno que este apareceria alguma memória da sua certa factura. Nestes termos parece, sem hesitação devemos ter este chamado Novo, pelo mais antigo e imemorial, e que o nome de Novo o conserve pela falta da sua ruína”.
Poder-se-á concluir que o chamado Forte Novo afinal é o mais antigo da foz do Vouga e das margens da Ria de Aveiro? Até prova em contrário pensamos que sim.
E neste caso, urge que lhe seja reconhecido o direito de figurar nos guias e roteiros turísticos editados pela Câmara de Ílhavo e pela Região de Turismo da Rota da Luz, às quais ele pertence como imóvel de interesse público.
Para além disso, e tendo em vista um melhor e mais completo aproveitamento, sugerimos um restauro adequado e urgente e a sua entrega a uma qualquer instituição vocacionada para a defesa do património cultural, histórico e monumental. Talvez assim o Forte Novo ou Castelo da Gafanha passe a ocupar o lugar a que tem direito.


Fernando Martins


tags:

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 18 Janeiro , 2008, 11:07


Jacinta, uma cantora com a arte à flor da pele e na alma, é já há bastante tempo uma artista que se impôs e impõe no mundo contemporâneo do jazz, muito para além das nossas fronteiras. Os seus discos são, de facto, um sucesso inquestionável, fazendo dela uma referência no panorama artístico, em geral. Ouvi-la é um regalo, pois a sua voz e sensibilidade envolvem-nos de tal modo que nos deixam num outro mundo.
Gostei de saber que se iniciou, entretanto, no mundo da blo-gosfera (www.jacintajazz.blogspot.com/), para mais facilmente nos pôr a par do que vai fazendo e se propõe fazer a nível artístico, enquanto nos oferece o que dela vai dizendo a crítica especializada, que nos ajuda a compreender, ver-dadeiramente, a sua voz notável e a sua maneira de cantar única e expressiva.
Os meus parabéns à Jacinta, na certeza de que ela continuará a subir cada vez mais alto e a chegar cada vez mais longe.
No seu blogue, experiemente ouvir a sua arte.

FM
tags:

mais sobre mim
Janeiro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds