de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 08 Fevereiro , 2007, 18:17

"INQUISIÇÃO PORTUGUESA
- TEMPO, RAZÃO
E CIRCUNSTÂNCIA"


Para combater preconceitos e clichés sobre a Inquisição no nosso país foi ontem lançada em Lisboa a publicação "Inquisição Portuguesa - Tempo, Razão e Circunstância”, que compila as intervenções proferidas no maior congresso internacional de sempre sobre este tema em Portugal, que decorreu em Outubro de 2004.
A obra lembra, através das várias perspectivas de abordagem, por vezes contraditórias, que a Inquisição é um campo aberto, onde os investigadores ainda têm muito por descobrir e aprofundar. Organizado pela Província Portuguesa da Ordem dos Dominicanos e pela Faculdade de Letras de Lisboa, o Congresso de 2004, que agora passa a livro, abordou esta instituição nas suas mais variadas vertentes, em diferentes épocas e países, com Portugal em destaque.
Na apresentação das Actas, acompanhada pela Agência ECCLESIA, o historiador António Borges Coelho referiu-se ao material apresentado como "um momento fundamental para avançar na história da Inquisição Portuguesa".
Frisando que esta realidade não é "um todo homogéneo", Borges Coelho lembrou que as próprias acusações se foram alterando, com o passar dos séculos. Em jeito de alerta, disse ainda que "não se pode levar à letra tudo o que está nos autos".
:
Leia mais em Ecclesia

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 08 Fevereiro , 2007, 15:54
A Igreja proíbe a cremação?

Uma leitora escreve: “Qual a posição da Igreja Católica quanto à cremação dos corpos dos defuntos? Julgo que, aqui há uns anos, era contra a cremação. Acontece que, de há pouco mais de um ano a esta parte, sei de casos de crentes e não crentes que optaram por estar forma de ser ‘sepultados’…”
:
Numa palavra: Não. A Igreja não é contra a cremação; não proíbe a cremação.Por cremação entende-se a destruição dos cadáveres pela combustão, até à incineração, isto é, a redução a cinzas.
A prática da cremação tem vindo a crescer entre nós por diversas razões: promovida nas grandes cidades por falta de espaço nos cemitérios; porque é mais barato cremar do que comprar uma sepultura; ou porque os familiares querem ficar com a memória do defunto através das cinzas ou ainda por razões quase hollywoodescas como lançar as cinzas no mar ou no jardim.
A origem da cremação remonta à Antiguidade. Praticava-se (e pratica-se) na Índia e em outras regiões do Oriente. Mas também na Europa. Os soldados gregos e romanos mortos em combate eram cremados, a fim de os seus restos mortais poderem ser sepultados pela família na pátria. As viagens podiam demorar meses e era impraticável viajar com o cadáver.
Actualmente, em países como na Alemanha, na Dinamarca ou no Japão, o número de cremações equivale ao de enterros comuns.
:
Leia mais em Correio do Vouga

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 08 Fevereiro , 2007, 12:27
11 DE FEVEREIRO


AVEIRO RECEBE FEIRA
DE ARTES E OFÍCIOS

A Câmara Municipal de Aveiro organiza a habitual Feira de Artes e Ofícios que irá realizar-se no dia 11 de Fevereiro, das 8 às 19 horas, nas Praças 14 de Julho e Joaquim Melo Freitas.
De realçar que a Feira de Artes e Ofícios tem por objectivo reavivar tradições e mostrar o que de melhor se faz em artesanato, transmitindo cultura e saberes às gerações mais novas.

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 08 Fevereiro , 2007, 12:17
O Retiro da Alma

Há quem procure lugares de retiro no campo, na praia, na montanha; e acontece-te também desejar estas coisas em grau subido. Mas tudo isto revela uma grande simplicidade de espírito, porque podemos, sempre que assim o quisermos, encontrar retiro em nós mesmos. Em parte alguma se encontra lugar mais tranquilo, mais isento de arruídos, que na alma, sobretudo quando se tem dentro dela aqueles bens sobre que basta inclinar-se para que logo se recobre toda a liberdade de espírito, e por liberdade de espírito, outra coisa não quero dizer que o estado de uma alma bem ordenada. Assegura-te constantemente um tal retiro e renova-te nele. Nele encontrarás essas máximas concisas e essenciais; uma vez encontradas dissolverão o tédio e logo te hão-de restituir curado de irritações ao ambiente a que regressas.

Marco Aurélio
(Imperador Romano),
in "Pensamentos"
::

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 08 Fevereiro , 2007, 11:32

CENTRO CULTURAL UM POUCO ESCONDIDO

Não há dúvida para ninguém de que o Centro Cultural fica um pouco escondido com o hotel que ali espetaram mesmo à sua frente.
Há anos, o antigo edifício da Fábrica Jerónimo Pereira Campos passou a ser um pólo cultural de grande relevo em Aveiro, tal é o conjunto de acções de elevado nível que ali tem lugar.
É um edifício imponente e característico do barro aveirense, com a sua chaminé a sobressair. Antes do hotel, dava gosto apreciar a antiga fábrica. Os aveirenses reviam-se nele. Agora, com o hotel a mutilá-lo, para quem olha de onde eu olhei, dá um pouco de pena. Mas o turismo tem destas exigências. E quem sabe se, à custa dele, o Centro Cultural não passará a ser mais conhecido e mais frequentado. Pode ser.

mais sobre mim
Fevereiro 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9


18
19



arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds