de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Domingo, 13 Agosto , 2006, 21:23


DIA DE ANOS

Com que então caiu na asneira
De fazer na quinta-feira
Vinte e seis anos! Que tolo!
Ainda se os desfizesse...
Mas fazê-los não parece
De quem tem muito miolo!

Não sei quem foi que me disse
Que fez a mesma tolice
Aqui o ano passado...
Agora o que vem, aposto,
Como lhe tomou o gosto,
Que faz o mesmo? Coitado!

Não faça tal: porque os anos
Que nos trazem? Desenganos
Que fazem a gente velho:
Faça outra coisa: que em suma
Não fazer coisa nenhuma,
Também lhe não aconselho.

Mas anos, não caia nessa!
Olhe que a gente começa
Às vezes por brincadeira,
Mas depois se se habitua,
Já não tem vontade sua,
E fá-los queira ou não queira!


João de Deus (1830 – 1896
:
Fonte: PÚBLICO on-line

Editado por Fernando Martins | Domingo, 13 Agosto , 2006, 20:54
Até 20 de Agosto





Reputado maestro
dirige Estágio de Orquestra
Sinfónica na Universidade de Aveiro


Promovido a partir da iniciativa de um grupo de jovens, decorre até ao próximo dia 20, no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, o Estágio de Orquestra Sinfónica «Momentum Perpetuum».
O Maestro convidado para dirigir o curso é Martin André, um dos mais prestigiados da actualidade.
A encerrar o Estágio, no dia 19 de Agosto, tem lugar um concerto no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro, a partir das 21h30.
:
Leia mais na UA

Editado por Fernando Martins | Domingo, 13 Agosto , 2006, 20:43
Bento XVI saúda possibilidade
de paz no Médio Oriente



Bento XVI saudou neste Domingo a possibilidade de um cessar-fogo no Médio Oriente, numa referência ao anunciado fim das hostilidades no Líbano, e pediu que a ajuda humanitária chegue "rápida e eficazmente" às populações vítimas do conflito.
Na oração do Angelus, Bento XVI disse esperar que o acordo alcançado nas Nações Unidas seja o início de uma paz duradoura para a região.
O Papa falava da varanda de sua residência de verão de Castel Gandolfo, para ressaltar que "o clima de férias não deve fazer esquecer o grave conflito no Oriente Médio".
“Os últimos desenvolvimentos levam-nos a esperar que cessem os confrontos e que seja assegurada de modo rápido e eficaz a assitência às populações. O desejo de todos é que, finalmente, a paz prevaleça sobre a violência e a força das armas", apontou.
O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, anunciou na noite deste sábado para Domingo que Israel e Líbano chegaram a um acordo para o fim das hostilidades, que entrará em vigor na madrugada de segunda-feira, após mais de um mês de conflito.

Editado por Fernando Martins | Domingo, 13 Agosto , 2006, 10:55
Ribau Esteves garante que as praias
do concelho de Ílhavo são as melhores do País


Cantares dos nossos
antepassados fazem
parte dos nossos genes


Ontem à noite realizou-se, como havia anunciado, o Festival Nacional de Folclore da Barra, com organização do Grupo Etnográfico da Gafanha da Nazaré. Muitos veraneantes assistiram ao espectáculo, ensaiando, ao som das modinhas tradicionais, uns pezinhos de dança. Vi, com agrado, que as músicas e os cantares dos nossos antepassados fazem parte dos nossos genes.
A Praia da Barra, ontem, era um mar de gente, sendo muito difícil o estacionamento. Os carros encheram todos os espaços disponíveis e até alguns passeios. O povo precisa mesmo dos ares do mar para reanimar o espírito.
Também gostei de ver como o Grupo Etnográfico da Gafanha da Nazaré (GEGN) se vai renovando, com gente jovem a ocupar os lugares, nas danças, que foram e ainda são os dos seus pais.
Alfredo Ferreira da Silva, fundador e presidente do GEGN, mostrou-me o seu agrado, quando confirmou o rejuvenescimento do grupo que tem levado, bem longe, o nome da região das Gafanhas, do concelho de Ílhavo.
Também o presidente da Câmara de Ílhavo, Ribau Esteves, teve palavras de louvor para quantos valorizam as nossas tradições, na sessão de boas-vindas aos grupos participantes, que decorreu na Casa Gafanhoa, horas antes do festival. “Ninguém pode substituir os cidadãos neste trabalho de divulgação das nossas tradições”, quantas vezes tendo de “ultrapassar obstáculos”, sublinhou o autarca ilhavense.
Ribau Esteves ainda aproveitou a ocasião para garantir aos membros dos grupos que foram convidados para este festival que as nossas praias são “as melhores do País” e que merecem, por isso, ser visitadas.
Este festival nacional de folclore foi apoiado pela Câmara Municipal de Ílhavo e integrou-se nas festas do município, programadas para o mês de Agosto.
F.M.

Editado por Fernando Martins | Domingo, 13 Agosto , 2006, 10:22


E O ARCO-ÍRIS
NO PEITO DO GARNISÉ!...

Caríssimo/a:

Antes de mais uma observação para os serviços sanitários: também temos o direito de sonhar, ou seja, viver num país como se fosse noutro... O que vou tentar escrever é para os Amigos e eles sabem bem como gosto de brincar com coisas sérias... Assim, pois, os senhores agentes de sanidade que procuram a gripe das aves não leiam, p. f., as linhas que se seguem...

E é que ele há dias em que mais valia não sair da cama.
Minha Mulher vinha encrespada com o diacho do garnisé: aquele cinco-réis de gente atirara-se a ela com uma fúria que só vista e ainda por cima com o bico fez-lhe aquilo no pulso... Bem é bom dizer que 'aquilo no pulso' era cá um destes buracos que parecia um poço de tirar água e a mão estava inchada, um cepo.
– Então, mas como foi isso?
– Imagina que eu queria apanhar a galinha e ele, com ciúmes, pimba! Fez-me este lindo serviço!

[Convém abrir aqui um parêntesis para explicar um pouco a estória deste amigo garnisé... É dos tempos da minha fisioterapia... Havia duas senhoras nessas sessões, D. Emília e D. Raquel, de suas graças. Conversas domésticas com minha Mulher e a última ofereceu-lhe um pinto garnisé... Evolução da capoeira, com destino atroz para o galo, e aí temos o garnisé promovido... Os rapazes do meu tempo sabem bem as consequências destas promoções imerecidas ou antes do tempo...]

Mas a bronca continua: o raças do abanico, não satisfeito com o lindo serviço que fez à dona da capoeira, quando esta virou costas, zás, atirou-se à galinha e deixou-a a escorrer sangue...
Quando aquela regressou ao galinheiro e deparou com o espectáculo, até se benzeu: Em nome do Pai... Querem ver... Mas ela é que nem queria acreditar... E , pelo sim pelo não, resolveu aproveitar a galinha, não fosse ela sucumbir aos golpes mortíferos daquele...

Bem, o depenar dava para outra gota, pois o inchaço da mão aumentou, prendeu os movimentos...
Adeuzinho e passem muito bem, e que a canja estava boa, lá isso nem se fala!...

Manuel

Editado por Fernando Martins | Domingo, 13 Agosto , 2006, 10:09


Não se vê saída
para o conflito
do Iraque



O Presidente Bush disse que o ataque terrorista frustrado pela polícia britânica vinha lembrar que os Estados Unidos estão "em guerra com fascistas islâmicos". Mas é difícil incluir a invasão do Iraque nessa "guerra", a não ser pela negativa, como incentivo ao terrorismo islâmico.
A maioria dos suspeitos agora detidos nasceu na Grã-Bretanha e teria ligações ao Paquistão. E foi a polícia, não a força militar, quem fez abortar os atentados.
Com a tragédia em curso no Líbano e na Palestina, tendo como pano de fundo a ameaça nuclear do Irão, a situação no Iraque recuou para segundo plano na actualidade informativa. Mas o que se passa ali merece atenção. Até porque os ataques israelitas reforçaram o sentimento antiamericano no Iraque. O próprio primeiro-ministro al-Maliki já se insurgiu contra bombardeamentos americanos em Sadr City.
O embaixador britânico em Bagdad, assim como dois generais americanos em serviço no Iraque (um deles comandante das forças dos EUA ali destacadas), coincidiram há dias numa conclusão inquietante: o mais provável é que o Iraque descambe para uma guerra civil aberta. Calcula-se que, actualmente, naquele país cerca de cem pessoas por dia, em média, sejam assassinadas pela violência sectária e religiosa.
:
Leia mais no DN

mais sobre mim
Agosto 2006
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

15




arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds