de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Sábado, 25 Agosto , 2007, 20:27

PROFESSOR UNIVERSITÁRIO
DE UMA CULTURA INVULGAR





Hoje de manhã, em Lisboa, morreu Eduardo Prado Coelho, professor universitário possuidor de uma cultura invulgar. Ensaísta, crítico literário e cronista, foi sem dúvida uma personalidade com rara capacidade de intervenção na sociedade, em várias frentes.
Habituei-me a lê-lo regularmente na comunicação social, sobretudo no PÚBLICO e nos seus suplementos, apreciando a naturalidade com que abordava, nas suas crónicas, entre segunda e sexta-feira, os mais diversos temas, desde a literatura (poesia, prosa e ensaio), até à música, passando pelas artes plásticas, pela filosofia, pelo cinema, pela religião, pelo teatro, pela política e, até, pelo futebol, neste caso sobre o Sporting. Temas sempre ligados ao quotidiano das pessoas, ao comportamento dos políticos, aos livros que se iam publicando, aos acontecimentos artísticos e culturais que se (não) programavam ou se (não) desenvolviam com a pertinência que se impunha.
Embora nem sempre concordasse com o que pensava e escrevia, em especial quando se pronunciava sobre religião, nunca deixei de o ler e de meditar sobre o que dizia e como dizia. Posso sublinhar que diariamente esperava a sua crónica no PÚBLICO, tanto pela cultura que irradiava como pela frontalidade com que causticava quantos fugissem dos cânones que considerava mais correctos ou mais legítimos, quer sob o ponto de vista artístico, quer político.
A admiração que nutri por Eduardo Prado Coelho prende-se, também, com o facto de ver nele um intelectual que não se fechava na sua concha nem guardava para si os múltiplos conhecimentos que foi adquirindo ao longo da vida, antes os levava a todos, assumindo uma intervenção social digna de nota.

mais sobre mim
Agosto 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13

23



arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO