de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Quarta-feira, 14 Abril , 2010, 00:04

 

Porque se diz “um beijo repenicado?

 

Maria Donzília Almeida

 

 

No dia em que se comemora o Dia Mundial do beijo, acorre à memória esta pergunta, escrita num placard duma sala de professores, integrada numa actividade lúdica, docente. O despropósito que poderá suscitar, numa 1.ª e rápida leitura, nada tem a ver com o verdadeiro objectivo da questão.

Aconteceu numa escola há um bom par de anos atrás, em que se poderia ainda dizer que aquela era risonha e franca. Num ambiente de trabalho intenso e árduo como é o dos professores, há que criar mecanismos de descompressão/descontracção, para aliviar o stress da profissão e também rentabilizar o tempo dedicado ao magistério. Quanto mais bem dispostos estiverem os professores, mais facilmente fluirá a tarefa lectiva e mais profícuos serão os resultados. Com amor e bom humor, ensinar será um prazer.

Foi nesta perspectiva que se realizou este jogo divertido, em que os intervenientes punham questões uns aos outros e ganhava quem tivesse mais imaginação e ousadia. Assim,  à autora destas linhas foi posta esta pergunta embaraçosa, pelo seu partner no jogo, o poeta DC.

Não querendo deixar os créditos por mãos alheias e alinhando na brejeirice, apresenta a resposta, na ponta da língua... como se fosse a dar o beijo!

- Diz-se beijo repenicado, porque aquando del bejo........repicam todas las campanas en el cuerpo!

A partir daí, aumentaram de complexidade e de brejeirice as perguntas, até ao final do jogo, mas como já não tratavam de beijos, fiquemo-nos por aqui.

Para dissertar sobre o assunto, não me sinto tão preparada, no meu know how, como alguns dos nossos alunos da escola, que, apesar de muito jovens na idade e só andaram numa Escola Básica 2/3, poder-se-á dizer com à vontade, que já têm a escola toda. Não faz parte do seu currículo a disciplina “Arte de beijar”, nem sequer nenhum professor aborda nas suas aulas, a título de curiosidade, mas os alunos sabem mais que nós, eles... sabem-na toda. Onde adquirem esse conhecimento empírico e essa prática? Na escola paralela, fonte de variadíssimos conhecimentos, mas onde não é feita a avaliação do seu desempenho. Se fosse! Ah! Outro galo cantaria e eles superariam em muito alguns dos seus professores, nomeadamente na arte de beijar! Não se diz que é a prática que faz a perfeição? Com a idade com que alguns começam... devem ser exímios nessa demonstração.

Mas... se o beijo é a manifestação de afecto, às vezes uma forma de cumprimento, como entre os Russos do sexo masculino que dão um beijo de cada lado da face e um no meio, dêmos largas aos nossos afectos e emoções e... beijemos tudo e todos... menos o beijo do Judas que não se insere neste campo.

 

12.04.10

 


mais sobre mim
Abril 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO