de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Sábado, 13 Março , 2010, 19:31

 

 

 
 
 
 

Local Visão TV  visita o Concelho de Ílhavo

 
 
Estão a decorrer no Concelho de Ílhavo filmagens e reportagens feitas pela empresa Local Visão TV, para serem apresentadas na Internet a partir do dia 5 de Abril, feriado Municipal de Ílhavo.
Gafanha da Encarnação, Casa Gafanhoa, Santo André, Jardim Oudinot, Museu Marítimo e Illiabum Club foram alguns dos locais e instituições que os repórteres visitaram.
Numa empresa de transformação de bacalhau da Gafanha da Nazaré, a Confraria Gastronómica do Bacalhau recebeu os jornalistas, seguindo-se a visita à seca, que comercializa o fiel amigo de Cura Tradicional Portuguesa.
Seguiu-se uma entrevista ao Grão-Mestre e um beberete oferecido pelo proprietário da empresa, constituído por derivados do Bacalhau.
 
 
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 12 Março , 2010, 14:36

 

 

Há dois grupos espanhóis interessados em investir na área do turismo no concelho de Ílhavo. Occidental Inmbobiliária e Globália não escondem interesse em apostar na Costa Nova. Dizem ter apresentado há dois anos à Câmara de Ílhavo um projecto de um resort. Segundo a revista da Câmara de Comércio Luso Espanhola, os grupos esperam resposta por parte da autarquia ilhavense.

 

Ler mais aqui

tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sábado, 27 Fevereiro , 2010, 12:14
Hoje, o meu blogue fica, mais uma vez, valorizado por esta reportagem do comandante José Vilarinho, em cruzeiro por paragens de sonho. Vale a pena ler, apreciar as fotos, referenciadas no texto, e sonhar. Sonhar, por enquanto, náo custa dinheiro.
FM  

NOTA: Clique nas imagens para saber onde está

 

 

 

PETRA deixa qualquer um sem palavras

Por José Vilarinho
 
 
 
 
Os dias vão passando   e embora o cruzeiro seja de sete dias para o Norte e de sete dias para o Sul, sempre há coisas novas e um nunca mais acabar de maravilhas a desfrutar.
Estas maravilhas não podia deixar de as partilhar consigo e seus leitores, pois   a beleza e a historia por detrás de PETRA deixa qualquer   um sem palavras. Não é por acaso que PETRA foi considerada uma das novas sete maravilhas do Mundo  e votada como Património Mundial pela Unesco.. PETRA fica a duas horas de distância da cidade de Aqaba e é servida por uma excelente estrada de acesso.
 A região foi ocupada em 1200 aC pela tribo dos Edomitas. Durante o século VI aC a zona foi colonizada pelos NABATEUS.
 
 
 
 
PETRA continuou a prosperar sob o domínio dos NABATEUS até ao ano em que um terramoto destruiu quase metade da cidade. Contudo, a cidade não morreu: após este acontecimento, muitos dos edifícios "antigos" foram derrubados e reutilizados para a construção de novos, em particular igrejas e edifícios públicos.
 
 
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 05 Março , 2009, 16:45


Li no Correio do Vouga que a Ria de Aveiro vai ter mais um operador turístico. Trata-se da empresa "Douro Acima", que já adquiriu três barcos moliceiros, os quais vão agora ser restaurados e adaptados para o efeito. A empresa, entretanto, assegurou que também vai promover passeios turísticos por terra, devendo utilizar autocarros panorâmicos.
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Domingo, 21 Setembro , 2008, 10:23


“TURISMO DO CENTRO DE PORTUGAL”


É público que a nova Entidade Regional de Turismo do Centro, designada por “Turismo do Centro de Portugal” poderá ficar sedeada em Aveiro. Numa manifestação doentia de bairrismo provinciano, o presidente da câmara coimbrã, Carlos Encarnação, segundo li no Diário de Aveiro de hoje, considera “aberrante” esta decisão e ameaça que Coimbra não integrará a nova estrutura de turismo, se tal ideia for por diante.
Pensava eu, talvez na minha ingenuidade, que os bairrismos saloios estariam a diluir-se na sociedade democrática e que o respeito pelos outros tenderia a impor-se. Mas não, afinal.
Não tem conta o número de vezes que diversos departamentos regionais foram instalados em Coimbra e noutras cidades, em desfavor de Aveiro, sem que ameaças ofensivas como as de Carlos Encarnação tivessem surgido, que me lembre, por estas bandas. Discordar é uma coisa. Ameaçar, por retaliação ou chantagem, é outra. Coimbra tem todo o direito de dizer que não concorda. Mas cheira-me a ridículo ameaçar que não fará parte do “Turismo do Centro de Portugal”, se este organismo ficar com sede em Aveiro. Se todos nos comportássemos assim, seria bonito!

FM
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 19 Setembro , 2008, 22:01
Creoula

A bordo do “Creoula”, numa viagem entre Lisboa e o Porto de Aveiro, foram traçadas as coordenadas do “Fórum Náutico do Município de Ílhavo”. Delinearam-nas 14 entidades das 18 convidadas pela autarquia ilhavense, sublinhando o presidente Ribau Esteves que este foi um passo importante, com vista a criar “uma plataforma institucional de grupo e de conjunto que vai valorizar esta área tão importante e cada vez mais atractiva”, em especial no sector náutico de recreio, conforme pude ler no Diário de Aveiro. Esta aposta pretende congregar todas as isntituições ligadas ao mar e à ria, nomedamente, clubes, empresas e marinas, em especial para incentivar o gosto pelas actividades náuticas, promovendo a região, sob todos os pontos de vista.
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 12 Setembro , 2008, 19:21

O grande desfiladeiro


“O rio Douro é, seguramente, o rio mais rico de grandiosas perspectivas do velho mundo. No entanto (diga-se a verdade), apesar de tudo quanto tem sido escrito e publicado, desenhado e divulgado – parece não ter tido ainda a fortuna de encontrar um verdadeiro escritor ou pintor que eternize a sua estranha e tácita beleza.
Junqueiro, que tantos anos viveu junto deste vale, que calcorreou os seus pendores – não o viu. Antero creio que nunca o avistou senão junto do Porto. António Nobre apenas o contemplou na Foz. Raul Brandão só lhe viu a grandeza nos dias de temporal, do alto da Cantareira, sonhando com o avô, alto e loiro como ele, desaparecido no mar. Pascoaes apenas conheceu, pode dizer-se, o seu último filho: o Tâmega. Camões jamais o avistou. Eça olhou-o com os olhos do Jacinto. Em resumo: nenhum escritor ou poeta português teve a fortuna de abrir decididamente os olhos para a pujança, a austeridade, a força telúrica deste estranho desfiladeiro aberto para esta serpente líquida e milenária vinda dos Montes Ibéricos!”

Sant’Anna Dionísio

In ALTO DOURO IGNOTO, 2ª edição, 1977
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 11 Setembro , 2008, 16:26






(Clicar nas fotos para ampliar)

O DOURO FICA SEMPRE NA ALMA DE QUEM O VISITA

“Nenhum outro caudal nosso corre em leito mais duro, encontra obstáculos mais encarniçados, peleja mais arduamente em todo o caminho…

Beleza não falta em qualquer tempo, porque onde haja uma vela de barco e uma escadaria de Olimpo ela existe.”

Miguel Torga, in “Portugal”


Ontem subi o Douro com olhos bem abertos à contemplação das belezas de que tanto tenho ouvido falar. E lido, em autores que cantam o rio que cortou cerce o seu leito, deixando marcas de feridas que os séculos fizeram secar. As chagas sararam, mas as crostas ressequidas lá estão, oferecendo a quem as aprecia a dureza da corrida desenfreada das águas soltas e apressadas com vontade de descansarem no oceano.
E se a beleza da paisagem é indiscutível, ao modo de nos obrigar a voltar, a paisagem bonita das velas dos barcos, de que fala Miguel Torga, já se foi com a voracidade do progresso. Os rabelos há muito que perderam o privilégio de temperar e refinar o Vinho Fino nas bolandas da descida da Régua até Gaia. Aqui recebeu o baptismo de Vinho do Porto, numa clara manobra de marketing, bem engendrada há séculos, que tais técnicas não são exclusivas dos nossos tempos.
O dia nasceu enevoado, com humidade cortante, junto à foz do Douro, assim chamado pela cor amarelada das lamas barrentas que as fortes correntes arrastavam dos montes e montanhas que guardam o rio e o tingiam. Mas nem por isso proibia os olhares dos que gostam da novidade.
Mais tarde, o sol furou as nuvens que nos vieram saudar. E então, o deslumbramento caiu sobre o “Infanta”, um barco que oferecia tranquilidade a quem viajava, pela serenidade com que enfrentava as águas doces que buscavam o casamento, apressado, com as águas salgadas do mar.
O verde da paisagem entrava-nos na alma, vindo de todos os cantos. Do arvoredo que não acusava falta de rega e do rio que o reflectia, como sinfonia de acordes que nos emoldurava o espírito em dia de mais nada que fazer.
Aqui e ali, casas semeadas pela encosta, ruas serpenteantes que as uniam, solares com capelinhas que abençoavam as vinhas, fonte que ainda não secou, dando "petróleo" tinto e branco àquele povo. Mais pontes que ligavam gentes e terras do alto e do baixo Douro, pás de moinhos de vento, não para a farinha, mas tão-só para as novas energias arrancadas do cimo das montanhas que o deus Éolo, com a sua brutalidade, de quando em vez nos oferece.
O que mais encanta o viajante, contudo, como marca indelével, são as escadarias de pomares e vinhas, quais altares ao deus-natureza, fonte de subsistência de povos que teimosamente procuraram adaptar-se a circunstâncias adversas. Hoje, talvez poucos tivessem a coragem de ficar agarrados à terra-mãe, com tal tenacidade e paixão, a não ser que encontrassem pelo caminho outra Antónia Ferreira, a Ferreirinha, com artes de convencimento e de estímulo.
O Douro, rio e região, fica sempre na alma de quem o visita e o observa de perto, admirando a obra de Deus e de homens e mulheres determinados, que nos deixaram como herança a ter em conta a força e a importância do trabalho.

Fernando Martins

Nota: Esta viagem foi organizada pela Câmara Municipal de Ílhavo e integrou-se na Semana da Maioridade. Ela serviu, também, para reencontrar e conviver com gente que não via há muito tempo.
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Terça-feira, 19 Agosto , 2008, 14:08

ISLA CRISTINA EM NOITE CÁLIDA
Sair de Portugal, mesmo que o salto seja pequeno, é sempre agradável. Em Espanha, onde os portugueses da raia vão a correr atestar o depósito de gasolina, pude usufruir de uma noite cálida, na Isla Cristina, terra de pescadores e de praias, mas não só.
Olhar as paisagens, mirar os nossos vizinhos com olhos de quem procura diferenças mas onde encontra, a cada esquina, tantas e tantas semelhanças, dá-me sempre um gozo especial. Desde o tempo, já longínquo, em que só se podia ir de passaporte, que nos dava, então, a liberdade de saborear uma Cola-Cola e comprar caramelos.
Na Isla Cristina calcorreámos ruas principais com gente que aproveitava a noite quente para conviver, saboreando um gelado ou enchendo as esplanadas em jantares familiares. Foi o que fizemos, atendidos por empregados solícitos e simpáticos, que não se cansavam de sugerir este e aquele petisco.
Apreciei como os nossos irmãos vizinhos falavam alto, com toda a naturalidade, enquanto saboreavam típicos “calamares” entre outros comeres, regados com bebidas frescas, sempre com a criançada em alegre convívio sob os olhares atentos dos pais.
Como curiosidade, registei a frequência com que deparava com esplanadas anexas aos cafés e demais estabelecimentos de comes e bebes. Em alguns casos, em plena rua, que fora fechada para esse efeito. E logo pensei como em Portugal, em certos concelhos, dificultam a preparação de espaços desses, que tanto contribuem para aproximar as pessoas. Aí, os espanhóis dão-nos lições que urge aproveitar, já que nos está reservado um lugar especial na área do turismo, se o quisermos aproveitar.

4 de Agosto

FM
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Segunda-feira, 18 Agosto , 2008, 17:05


(Clicar nas fotos para ampliar)


PARABÉNS!

Parabéns! Esta é a palavra mais justa para quantos idealizaram e avançaram com esta prenda para os amantes da natureza e do prazer da vida ao ar livre. Para os nossos autarca e APA (Administração do Porto de Aveiro), mas também para quantos, ao longo de décadas, lutaram para que as obras dos portos não eliminassem, pura e simplesmente, o Jardim Oudinot, que os nossos pais e avós usufruíram, em horas festivas ou de descanso.
Não pude estar presente, como gostaria, mas soube, à distância, da inauguração. Hoje fui lá e gostei. Gostei bastante de ver muita gente a passear e a apreciar o que foi feito. O bom gosto impera e o povo saberá gostar desta prenda, merecida, que lhe deram. A Gafanha da Nazaré e todo o concelho de Ílhavo têm, agora, um espaço condigno que estará aberto a quem o desejar. Todos quantos gostam da Ria, da vida sã, da maresia e da tranquilidade que as águas mansinhas da laguna inspiram. As árvores e arbustos plantados, mais a relva verdinha que já desponta, com a ajuda da rega automática, são motivos para nos atraírem para ali.
Quem gostar de caminhar, quem precisar de exercícios de manutenção física e mental, quem gostar de meditar olhando a água e as aves que cirandam por ao sabor do aragem que o céu azul emoldura, quem necessitar de afugentar o stresse e quem apreciar a calma que um ambiente sadio proporciona têm agora um parque de lazer, para todas as idades e para todos os apetites.
Passei hoje pelo renovado Jardim Oudinot, mas voltarei muitas vezes. Os meus parabéns para todos nós.

FM
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 01 Agosto , 2008, 14:46
Praia da Barra
Costa Nova

O MAR POR TRADIÇÃO
O mês de Agosto vai ser, no concelho de Ílhavo, um período alargado de festas. São as Festas do Município, denominadas “Mar Agosto”, ou não tivesse o nosso concelho “O Mar por Tradição”.
O programa está recheado de diversas iniciativas, para todas as idades e para todos os gostos, proporcionando mais animação e mais vida para toda a região.
Se é ilhavense ou gafanhão, se é de perto ou de longe, se é habitual frequentador das nossas praias ou dos nossos espaços turísticos, se apenas vem por aqui de passagem, não se esqueça de que os nossos autarcas lhe prepararam uma recepção condigna, na esperança de o cativar e de lhe garantir uma estada à medida dos seus desejos.
Apesar de a programação se apresentar variada, acredito que nem tudo possa agradar a todos. Mas haverá sempre algo que justifica uma visita às terras dos ílhavos e dos gafanhões.
Veja o programa na agenda Viver em...
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Segunda-feira, 28 Julho , 2008, 20:13
Guarita

O Jardim Oudinot vai ser inaugurado em 10 de Agosto, com a oferta de diversas valências à população, que são outras tantas zonas de convívio.
Como disse o presidente da Câmara Municipal de Ílhavo, Ribau Esteves, à Rádio Terra Nova, foi possível criar “um espaço mais agradável, que proporcione uma melhor vivência no jardim”.
Vamos esperar que assim seja, para bem de todos, sobretudo dos que, por estas bandas, não dispensam os ares da nossa ria, com Farol e Forte à vista. Integrada no arranjo do jardim está agora uma réplica da Guarita, que eu bem conheci em miúdo, completamente abandonada. Dizem, e é verdade, que não tem interesse histórico nem arquitectónico, mas está no imaginário de todos os povos da beira-ria. Será, neste caso, um elemento decorativo que não pode ser menosprezado.
Desejo que no Jardim Oudinot haja regularmente animação, no sentido de levar as populações a criarem hábitos de frequência naquele recanto alargado e modernizado, já que dele foram privadas desde que começaram as obras, indispensáveis, do Porto de Aveiro.

FM
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Domingo, 20 Julho , 2008, 11:05
Ria de Aveiro: Marina da Costa Nova


HÁ UM PORTUGAL DESCONHECIDO À NOSSA ESPERA


Quando se fala de férias, em qualquer espaço da comunicação social ou mesmo entre amigos, é certo e sabido que logo vêm discrições de lugares paradisíacos, já vistos ou de que se ouviu falar. A natureza, naturalmente, está sempre ligada a recordações de excelentes férias, em Portugal ou no estrangeiro. Importa, no entanto, falar do que o nosso país nos oferece, em qualquer dos seus quadrantes.
Do Norte a Sul, saltando para os Açores e Madeira, temos de tudo. Deus, talvez sabendo da nossa pouca capacidade empreendedora ou das nossas limitadas riquezas energéticas, resolveu brindar-nos com paisagens de sonho, que são um desafio para as aproveitarmos em pleno, destinando-as, também, a quem nos visita. Não o temos feito em pleno, mas parece que a tendência está a virar-se para aí.
Com a crise instalada, como reflexo do que vai pelo mundo, por causa das tais fontes de riqueza que não possuímos, urge que nos viremos para Portugal, neste tempo de férias, ao jeito de quem se quer ajudar a si próprio. Vai daí, proponho que nos brindemos com o que à nossa volta podemos descobrir, embrenhando-nos em serras e vales, em mar e rios, em cidades e aldeias perdidas, degustando a variedade de comeres e saboreando os nossos vinhos, que os há para todos os gostos e bolsas.
Há monumentos decerto ainda ignorados, há paisagens a perder de vista e nunca apreciadas, há gentes de usos e costumes que nunca contactámos, há história nunca descoberta, há estórias nunca ouvidas. Há, afinal, um Portugal desconhecido à nossa espera!
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Quarta-feira, 16 Julho , 2008, 11:41
 

A Turel e a Câmara Municipal de Aveiro assinam hoje, 16 de Julho, um Protocolo que firma a adesão da Autarquia Aveirense à Turel – TCR – Desenvolvimento e Promoção do Turismo Cultural.
Segundo foi comunicado, o turismo religioso em Aveiro ganha outro fôlego, pois o concelho será incluído nesta rede de temática religiosa, para além da inclusão em roteiros específicos com informações úteis (contactos, horários de visita a espaços religiosos, entre outras) e a possibilidade de haver guias especializados em turismo religioso para visitas guiadas”.
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 10 Julho , 2008, 21:55

De 11 a 20 de Julho, a Festa da Ria, promovida pela Autarquia Aveirense, com o apoio da Região de Turismo Rota da Luz, pretende potenciar as mais-valias da Ria de Aveiro e do Barco Moliceiro, com a realização de diversas actividades junto à Ria – zona do Rossio – e outras que se desenrolarão nos canais – Regata de Barcos Moliceiros, Raid Cataramarãs “Ria de Aveiro”.
Pretende-se proporcionar à população Aveirense e a todos os turistas diversas actividades, nomeadamente, divulgar mais-valias da Ria de Aveiro; dinamizar as noites de Verão, proporcionando-lhes acções relacionadas com a Ria de Aveiro; encher de colorido o Canal Central da Ria de Aveiro, através dos seus moliceiros; consciencializar a população para a importância da Ria de Aveiro; valorizar a cultura e o património existente relacionado com a Ria de Aveiro; dar a conhecer o artesanato da região aveirense; e dar possibilidade às Associações do Concelho de divulgarem os seus trabalhos.

Fonte: “Site” da CMA

Ver programa
 O que é? | partilhar

mais sobre mim
Junho 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
Contador - 1
blogs SAPO
subscrever feeds