de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 06 Maio , 2010, 14:06
:

O mês de Maio é o mês do coração. O coração, cujo retrato está em cima, é uma máquina fabulosa. Trabalha, sem parar, quase desde que somos gerados até morrer. E porque a sua paragem pode ser-nos fatal, se não for reanimado num curto espaço de tempo, urge cuidarmos dele.

O Dr. Fernando Pádua que anda há décadas a recomendar-nos cuidado, alertou ontem na televisão, mais uma vez, para a necessidade de se reduzir o sal na alimentação, para a urgência de se acabar com o tabaco e para se evitar a comida com índices elevados de colesterol.

Diz aquele cardiologista que é importante o exercício físico e uma vida tranquila e sem stresse. Se assim fizermos estará ao nosso alcance viver mais uns anitos com qualidade de vida invejável. Já agora, vou tentar…

 

FM

 

tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Terça-feira, 13 Abril , 2010, 15:48
Caminhos

 

Quando me desloquei a Ílhavo, esta manhã, passei por um grupo de homens que caminhava pela berma da estrada, como quem cuida, entre os pinheiros da Mata da Gafanha, do seu próprio coração. Todos os médicos e entendidos nestes temas da saúde são unânimes na defesa das caminhadas como prevenção contra os achaques cardíacos, ou não conseguissem elas diminuir o peso e afugentar gorduras acumuladas por abusos alimentares. Iam atentos, já que passeios não havia. Mesmo atentos, não deixa de ser um perigo.

Nem todas as povoações, vilas ou cidades, possuem passeios que permitam as caminhadas em segurança. Há os jardins e outros espaços, mas nem sempre estão à mão de quem precisa de caminhar.

Na Gafanha da Nazaré, os passeios existem na Avenida José Estêvão, mas por vezes não estão disponíveis. Há árvores que nos dão sombra no Verão, mas ainda contentores do lixo, alguns dos quais ocupando os passeios. Neste caso, somos obrigados a voltar à estrada, com os perigos que daí advêm. E também há quem estacione em cima dos passeios, levando o transeunte a correr os tais perigos.

 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 07 Agosto , 2009, 22:16
ESTILOS DE VIDA MAIS SAUDÁVEIS



A Câmara Municipal de Ílhavo vai promover amanhã, sábado, dia 8 de Agosto, a edição 2009 da “Feira da Saúde do Município” na Praia da Barra. Esta acção tem como objectivo incentivar a população do Município e os turistas a adoptarem estilos de vida mais saudáveis, permitindo-lhes um contacto directo com diferentes agentes e especialistas da saúde, de forma informal.
Estarão presentes, nesta iniciativa, várias entidades profissionais do ramo da saúde de diversas especialidades.
Depois de ter sido inaugurado a 23 de Abril de 2006, o edifício da Extensão de Saúde da Barra permanece sem utilização, dado o facto do Ministério da Saúde não ter honrando o compromisso assumido com a Câmara Municipal de Ílhavo e com a População da Barra, colocando-o em funcionamento.
A Feira da Saúde, a realizar neste edifício, é também mais um alerta público para uma situação inadmissível que urge resolver em nome do interesse dos cidadãos.
Fonte: CMI
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sábado, 11 Julho , 2009, 10:54
Ana Jorge


A ministra da Saúde, Ana Jorge, é o exemplo mais evidente do governante atento, simples, simpático, eficiente, competente. Pela sua resposta pronta em questões urgentes, pela sobriedade, pelos conselhos oportunos e pela disponibilidade total para o esclarecimento na hora própria merece o meu destaque. É a ministra certa no lugar certo. Talvez por ser médica. Talvez por ser mulher. Talvez por ser simples. Talvez por ser uma pessoa sensível. Por todas as razões, afinal. Se calhar, por não ser política de carreira.
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Terça-feira, 28 Abril , 2009, 15:04
A fragilidade em que vivemos está bem patente na ameaça de pandemia que aí está, com a gripe suína a preocupar toda a gente. Foi há tempos a gripe das aves, como tem sido com outras doenças. O homem vive, realmente, na corda bamba. E se é verdade que algumas pandemias podem ser anunciadas, como esta está a ser, também é certo que há outras que se insinuam sem ninguém dar por ela. Em Portugal, pelo que se sabe, ainda não entrou. Mas todo o cuidado é pouco. E já repararam que a mola real das pandemias assenta na globalização?
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Terça-feira, 07 Abril , 2009, 22:32
No dia de hoje, dedicado à saúde, designado por Dia Mundial da Saúde, apenas ouvi referências à doença! Estranha contradição do ser humano! Será que ambas as partes vivem tão interligadas que a sua relação é, na mente humana, indissociável?
Com efeito, durante o tempo em que me ocupava dos meus afazeres domésticos, hoje de manhã, assisti, via radiofónica, a um debate, na antena 1, sobre a utilização dos genéricos.
A discussão foi acesa e aí se esgrimiram os vários argumentos, pró e contra os referidos medicamentos.
A questão que eu levanto é esta: por que razão, neste dia, não são transmitidas receitas, conselhos, dicas para manter esse estado de perfeito bem-estar físico e psicológico a que denominam saúde, em vez de se falar na parte negativa da questão? Pela positiva é que devemos reger-nos, não é esse o lema deste blog? Por que motivo, sempre que se fala de saúde, vem imediatamente, à memória, esse rol ilimitado de doenças, incómodos, maleitas, que perturbam o equilíbrio do nosso dia a dia?
Do tratamento das doenças estão encarregados os médicos e pessoal paramédico, e deixemo-los trabalhar!
A minha filosofia de vida para manter uma boa saúde é o lema apresentado pelo poeta romano Juvenal e largamente difundido pela literatura, que se sintetiza no “Mens sana in corpore sanu”. Assim, uma boa prática de exercício físico, aliada a uma higiene de vida mental são a garantia desse bem estar harmonioso que todos almejamos!
Amigos! Toca a andar, marchar ou até correr, porque não, para termos uma vida de qualidade, ou a qualidade de vida que merecemos como seres superiores na hierarquia da criação! E... haja Saúde!
E... só uma redonda dica: “An apple a day...keeps the doctor away!”

Mª Donzília Almeida
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Quarta-feira, 01 Abril , 2009, 21:50
Há problemas simples que algumas pessoas gostam de complicar. Quando os genéricos surgiram no mercado, foi dito e redito que os referidos medicamentos eram absolutamente iguais aos de marca. Eram fabricados, foi sublinhado, com a mesma substância activa, não diferindo, em nada, dos outros medicamentos, sendo, no entanto, mais baratos. Dizia-se, então, que a diferença de preços era resultante das publicidades feitas pelos fabricantes e dos processos de produção levados a cabo pelas grandes indústrias. Outras razões estariam na base da produção e na ausência de concorrência.
Ora, tanto quanto sei, os genéricos continuam a ser ignorados por muitos médicos, que também manifestam uma certa relutância em autorizar a substituição.
Um dia destes aventou-se a hipótese de os farmacêuticos poderem trocar os medicamentos receitados pelos genéricos. Logo vieram alguns clínicos com os habituais alertas de que não se responsabilizam por eventuais danos para os doentes daí resultantes.
Pergunto:
- Os genéricos são ou não são fabricados com os mesmos elementos activos?
- Os processos de fabrico são ou não são fiscalizados pelas entidades competentes?
- Os farmacêuticos têm ou não têm competência técnico-científica para procederem à substituição do medicamento pelo respectivo genérico?
- Os genéricos são ou não são mais baratos, tanto para o Estado como para o doente?
- Por que razão não receitam os médicos, com toda a normalidade, os tais genéricos?

Fernando Martins
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Terça-feira, 16 Dezembro , 2008, 16:03
O povo é que sofre
A Extensão de Saúde da Barra continua sem solução à vista, apesar de as instalações estarem concluídas há mais de dois anos. O presidente da Junta, Manuel Serra, critica o Ministério da Saúde por incumprimento do protocolo estabelecido com a Câmara de Ílhavo. O povo, no fim de contas, é que continua a sofrer as consequências do silêncio dos responsáveis pela Saúde.
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sábado, 13 Dezembro , 2008, 13:16
A Gafanha da Nazaré e a Costa Nova vão passar a ter em funcionamento, a partir de segunda-feira, uma Unidade de Saúde Familiar (USF), para servir dez mil utentes. Foi baptizada com o nome “Beira-Ria” e não vai funcionar em edifício próprio, como seria de esperar, mas nas já existentes Extensões de Saúde.
Segundo Humberto Rocha, coordenador da Sub-Região de Saúde de Aveiro, este novo serviço conta com uma equipa de seis médicos, sete enfermeiros e cinco administrativos, trabalhando todos os dias úteis, das 8 às 20 horas, para consultas normais e ambulatório.
Aquele responsável garante que serão atendidos “casos agudos, sendo que as situações de gravidade extrema continuarão a ser enviadas para o Hospital de Aveiro”. E acrescenta que esta USF pretende contribuir para que “todos os utentes sejam vistos no dia em que forem à consulta”.
Este novo serviço obrigou a algumas adaptações, ao nível de uma redistribuição de espaços no Centro de Saúde da Gafanha da Nazaré, em ordem a uma melhor funcionalidade, com a criação, nomeadamente, de duas novas secretarias e gabinetes. No Posto da Costa Nova também houve algumas alterações, informou Humberto Rocha à comunicação social.
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 04 Dezembro , 2008, 12:29

A ministra da Saúde, Ana Jorge, admitiu ontem, quarta-feira, a possibilidade de Aveiro vir a ter um novo hospital. No entanto, pelo sim pelo não, ainda avançou com a hipótese de remodelar o actual.
Entretanto, por causa das "temperaturas desadequadas" (Diga-se por causa do frio, sem eufemismos), foram suspensas 13 cirurgias.
Estas duas notícias de uma mesma notícia, a visita da ministra ao Hospital Infante D. Pedro, dão para reflectir sobre a situação do nosso hospital, quiçá de outros. A ministra, que deve estar suficientemente informada da realidade do Hospital de Aveiro, ainda não sabe o que fazer. Construir um novo ou remodelar o actual.
Sempre ouvi dizer que remendo novo em pano velho nunca faz um fato novo. Será sempre um remedeio. E disso estamos todos fartos. Se é assim, por que razão havemos de andar com remendos, quando precisamos de um hospital que responda, com eficiência, às necessidades dos utentes? Pegue-se nas informações que há e decida-se, com urgência, a construção de um novo edifício, com todos os requisitos compatíveis com as exigências do nosso tempo. Acabe-se com a barracada dos pavilhões e mais pavilhões e faça-se um hospital de raiz!
Repare-se no ridículo que a segunda notícia representa. Cirurgias suspensas por causa do frio. Isto nem no terceiro mundo! E se morresse alguém por força da suspensão das cirurgias? Mas, afinal, em que país estamos?

FM
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 30 Outubro , 2008, 11:07
Humberto Rocha, director da Sub-Região de Saúde, admite que as areias depositadas no Porto de Aveiro são a causa de problemas respiratórias na Gafanha da Nazaré. Quando teremos provas concludentes? A situação exige estudos rápidos.
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sexta-feira, 10 Outubro , 2008, 15:50

TEM QUE HAVER UMA FORÇA INTERIOR MUITO GRANDE...

O Dia Mundial da Saúde Mental, que hoje se comemora, permite-me recordar uma visita que fiz, há mais de 40 anos, à Casa de Saúde do Telhal, da Ordem Hospitaleira de São João de Deus. Foi uma experiência extraordinariamente enriquecedora, pois foi-me dada a oportunidade de conhecer de perto o trabalho ali feito com doentes mentais.
O grupo foi recebido por um Irmão de São João de Deus, um homem que deixou tudo para trabalhar com pessoas muito doentes. E desse primeiro contacto ainda recordo o sorriso com que nos acolheu e a maneira simples como nos explicava todo o trabalho por eles realizado com aquelas pessoas.
Havia doentes de todo o género, desde os apáticos aos violentos, desde jovens a idosos, desde os que se ocupavam de diversas tarefas aos que se recusavam a trabalhar, desde os indiferentes a tudo aos faladores. E para todos havia, da parte dos Irmãos de São João de Deus, uma atenção especial, por vezes redobrada, por necessidades compreensíveis.
Vi ali, há tantos anos, que predominava uma pedagogia ocupacional. Uns trabalhavam na cozinha, outros na lavandaria, outros na rouparia, uns eram porteiros, alguns cuidavam dos jardins, outros ficavam simplesmente sentados a ver os que trabalhavam. E ainda recordo como um grupo coral, devidamente ensaiado, cantava melodias portuguesas, acompanhadas por instrumentos musicais que uns tantos dominavam.
Num espaço amplo havia doentes violentos. Mas não cheguei a ver qualquer agressão. Uns Irmãos acompanhavam-nos com muita atenção e depressa agiam quando pressentiam agitação em qualquer dos doentes.
Falo disto para enaltecer vocações raras, mas fundamentais. Estas vocações, de quem deixa tudo para trabalhar com doentes mentais, não têm explicação à luz das realidades comezinhas em que vivemos. Tem que haver uma força interior, superior, que impele pessoas para este trabalho dificílimo com doentes mentais. Para eles o meu aplauso e a minha muito grande admiração.

Fernando Martins
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sábado, 17 Maio , 2008, 20:23

As listas de espera nos hospitais para as intervenções cirúrgicas às cataratas estavam demasiado elevadas e o Ministério da Saúde não sabia. O caso deu nas vistas, porque as pessoas não gostam de ficar cegas. Vai daí, algumas autarquias, não vendo solução para os seus munícipes mais pobres, procuraram ajuda em Cuba. Claro que isto é um escândalo de bradar aos céus.
Agora, que a comunicação social deu os alertas, o Governo vai tentar resolver o assunto, disponibilizando milhões de euros para tratar os portugueses que não podem recorrer aos hospitais privados.
Estranha-se que o Ministério da Saúde não tenha alertado o Governo para esta situação. Lamenta-se que em Portugal os problemas só encontrem solução quando denunciados pela comunicação social. Também se lamenta que o Governo não tenha estruturas capazes de o alertar a tempo e horas. Em suma, no Ministério, o pior cego é aquele que não quer ver.
tags:
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Sábado, 17 Maio , 2008, 09:49

As doenças do homem e os males do mundo!

Ontem, dia 16, tive que ir com uma pessoa de família, que sofre de diabetes tipo I, hereditário, a uma consulta de controle num médico endocrinologista (especialista em doenças de diabetes, obesidade, alterações hormonais…). Durante a consulta, tive a possibilidade de conversar com o clínico sobre uma notícia publicada, no jornal “Diário de Notícias”, no dia 15, com o título “Esperança média de vida vai baixar devido à diabetes”.
Durante o desenvolvimento desta notícia, podia-se ler que “A diabetes, actualmente a quarta principal causa de morte, na maioria dos países desenvolvidos, deverá conduzir, segundo previsões da Organização Mundial de Saúde (OMS), a uma redução da esperança média de vida, já na próxima década, fenómeno que ocorrerá, pela primeira vez, em 200 anos.”
Não conhecendo ainda a notícia, o médico acabou por me dizer que todos os estudos apontam, infelizmente, nesse sentido e que no seu consultório é cada vez mais frequente aparecerem crianças em situações pré-diabéticas ou mesmo já com diabetes tipo II (não insulino-dependentes), uma realidade impensável ainda não há muitos anos.
Acrescentou que é nos meios urbanos que a obesidade infantil é mais frequente. No entanto, as zonas rurais também começam a mostrar um cenário semelhante. As estatísticas dizem que, a nível nacional, 31,5% das crianças e adolescentes entre os 9 e os 16 anos são obesas ou sofrem de excesso de peso. E daqui sobressai uma conclusão: é preciso agir depressa e bem. Caso contrário, a já ameaçada esperança média de vida destes miúdos vai ser ainda mais curta, já que criança obesa representa um adolescente e um adulto doente.
A informação que foi disponibilizada, até agora, – continuou o doutor – talvez não tenha resultado numa sensibilização eficaz da população, em geral, para este problema, que parece passar despercebido aos pais e ao Estado, com consequências nefastas, a longo prazo. Ainda deu tempo para eu escutar que a alimentação incorrecta (muito calórica e com gorduras) e a escassa prática de actividade física estão na base desta situação, não só nos adultos, mas, particularmente, na população infantil e adolescente.
Saí do consultório a pensar em que raio de mundo vivemos, onde as contradições surgem de todo o lado, quase em avalanche diária, e ninguém parece ser capaz de as atenuar, pelo menos. De um lado, temos os países pobres, com as suas populações a morrerem, diariamente, aos milhares, por falta de alimentos básicos, como sejam, por exemplo, o arroz ou o milho. No lado oposto, temos os países desenvolvidos, onde, à custa da fartura alimentar existente, os seus habitantes, a começar pelas crianças, estão a ter hábitos alimentares que lhes podem trazer graves problemas de saúde, com a consequente morte precoce como muito possível.
Se é inquestionável que nada disto faz sentido, não deixa de ser ao mesmo tempo um reflexo cruel da sociedade e do mundo que estamos e insistimos em criar.
Vivemos num mundo em que se fazem demasiados relatórios, diagnósticos, estudos e previsões e muito poucas obras concretas e não me admiro nada que esta situação se vá alastrando, silenciosamente, se as famílias e o Estado não assumirem, por inteiro, as suas responsabilidades. Ainda por cima, e isto é que me custa ainda mais, muitas das correcções destas situações patológicas são simples de fazer e estão ao alcance dos hábitos de cada um, enquanto o evitar morrer por falta de comida não resulta da vontade de quem morre, mas da vontade daqueles que, vivendo nos reinos do consumo e da abundância, muito deixam a desejar no que fazem, para que uns não morram por não terem comida e outros não se tornem doentes por a terem em excesso.

Vítor Amorim
 O que é? | partilhar

Editado por Fernando Martins | Segunda-feira, 05 Maio , 2008, 10:22
No CUFC, quarta-feira, 7 de Maio




Cada vez mais é preciso cuidar do nosso coração. Trata-se de uma "máquina" com enormíssima capacidade, mas não é eterna. Se cuidarmos dela, mais tempo poderemos viver. Toda a gente sabe disso, mas os nossos comportamentos nem sempre têm em conta a importância do coração. Eu que o diga, que já apanhei alguns sustos. Daí que assuma a obrigação de falar desta Conversa Aberta, integrada no Fórum::UniverSal, que vai ter lugar no CUFC, na quarta-feira, 7 de Maio, pelas 21 horas. Podem (e devem) participar os que já sofrem do coração e os que desejam apostar em ter um coração mais saudável. O conferencista será Polybio Serra e Silva, da Fundação Portuguesa de Cardiologia, e como moderador teremos o cardiologista aveirense, Rogério Leitão.

tags:
 O que é? | partilhar

mais sobre mim
Junho 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
Contador - 1
blogs SAPO
subscrever feeds