de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Quinta-feira, 12 Abril , 2007, 15:35
COM ESTA HISTÓRIA,
A POLÍTICA PORTUGUESA
FICOU SEM PROBLEMAS RELEVANTES

A questão das habilitações académicas do primeiro-ministro, José Sócrates, veio mostrar a fragilidade da política portuguesa. Por causa dessa polémica, tudo o mais de importante na sociedade foi relegado para segundo plano, conforme tem retratado a comunicação social. Até parece que Portugal e os portugueses nada mais têm para discutir, para além dos diplomas conseguidos pelo primeiro-ministro.
É claro como água que José Sócrates e o seu Governo ganharam legitimamente o direito de exercer o poder, pois a competência política nada tem a ver com as habilitações académicas dos governantes. Mas é evidente que os portugueses têm o direito de saber se os políticos e pessoas públicas ostentam, com legitimidade, os títulos académicos que apresentam, num País onde tantos querem ser Drs. Levantada a questão dos títulos de José Sócrates, o visado tinha a obrigação de esclarecer, de imediato, a situação, para depois governar bem como todos queremos. Porquê, então, tanto tempo para prestar esses esclarecimentos?
Depois, numa entrevista em que devia fazer um balanço de dois anos de governação, foi triste ver quanto tempo se perdeu com o assunto dos diplomas, sabendo-se, como toda a gente sabe, que o PS vai continuar a governar o País, por ter ganho as eleições, com todo o direito que lhe advém dos votos conseguidos, à custa, decerto, da saída de Durão Barroso para a presidência da Comissão Europeia e do mau trabalho de Santana Lopes no Governo de coligação entre o PSD e o CDS-PP.
Marques Mendes, líder do PSD, pediu que uma comissão independente analisasse o problema criado à volta das habilitações do primeiro-ministro. A ideia não é má, mas parece-me que não adianta nada. José Sócrates continuará a governar, porque ninguém conseguirá provar se os seus diplomas foram alcançados com muito ou pouco esforço. Daqui a uns meses, já ninguém falará do assunto, porque alguém se encarregará de criar novos factos políticos para entreter a malta.
Toda a gente sabe que neste País há muita gente com habilitações conseguidas a trouxe-mouxe, numa ânsia de ocupar as melhores posições profissionais. Vale tudo para subir na vida, com a complacência do Estado e a cooperação de Universidades, que, de rigor, nada têm. O importante, para algumas, é ter alunos que paguem as mensalidades.
Os meus leitores sabem que uma professora confirmou, há dias, que não sabia quem era Luís de Camões? E que uma universitária de História não fazia ideia do que era o 5 de Outubro? E que alguns universitários não sabiam a tabuada?
Este é, infelizmente, o Ensino que temos.

Fernando Martins

 O que é? | partilhar

mais sobre mim
Abril 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

15
17

28



arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
Contador - 1
blogs SAPO