de Fernando Martins
Editado por Fernando Martins | Domingo, 15 Fevereiro , 2009, 09:23



BACALHAU EM DATAS - 8

Padre Rezende

AFINAL A MONOGRAFIA DA GAFANHA TAMBÉM...

Caríssimo/a:

Temos navegado por águas de profundos saberes. Hoje resolvi fazer uma abordagem mais terra-a-terra, aquilo a que podemos chamar as nossas águas, já que há muitos, muitos anos na Monografia da Gafanha, do senhor Padre João Vieira Rezende, na sua 2.ª edição, correcta e aumentada, de 1944, li algo a que, na altura, confesso, não dei muita importância. Será que neste novo contexto me dirá coisas novas? Vejamos:
«Segundo o P.e Carvalho da Costa, são antigas as construções navais em Aveiro.
Regressemos ao século XVI. Os navios de Aveiro faziam naquele século comércio com a Inglaterra, Irlanda, Flandres e Ilhas, mas uma grande parte deles armava-se para a pesca de bacalhau à Terra Nova, iniciada cerca de 1500. Por volta de 1700, , o P. Carvalho da Costa dizia na sua Corografia Portuguesa: “Por esta comodidade se fabricavão outro tempo em Aveyro tantas embarcaçoens, que sahião (como diremos) sessenta naos para a pescaria da Terra nova; & mais de cem carregadas de sal para diversas partes. Depois ficando a barra com pouco fundo se foy diminuindo a navegação, & commercio: com que atégora se fabricávão aqui poucos navios; & entravam só alguns Portuguezes, Inglezes, & Galegos; mas como Aveyro está já porto seguro, se espera que brevemente torne a ser porto rico”

Desta passagem concluíu-se, erradamente, que o pôrto de Aveiro tinha no século XVI, 160 navios. O sr. Dr. Francisco Neves prova que o êrro era possível. Devemos ter como mais seguro e elucidativo o que em 1648 se escreveu, referente àquele século, na Memória dos capítulos que Sebastião Soares da Fonseca ha-de propor a Sua Magestade que Deus Guarde. Lia-se nesse escrito, que existiu na Câmara de Aveiro: "Que nesta vila , quando antigamente tinha 46 ou 50 navios que iam á pescaria do bacalhau…” Êste documento é mais concludente àcêrca do número de navios de Aveiro e indica-nos o que seria o movimento marítimo do seu pôrto.» [MG 183/4]

Lá mais para diante, na página 341, acrescenta:

«Quando em 1504 alguns navegantes da Bretanha e da Normandia aportaram à Terra Nova, já lá encontraram colónias de pescadores de Aveiro e de Viana.
Em 14 de Outubro de 1506, um alvará de D. Manuel ordenava que se pagasse a dízima da pesca da Terra Nova. Este imposto chegou a render em Aveiro 4.000$900 réis.
Um documento existente no Arquivo Municipal de Aveiro, diz que em 1572 se secou e beneficiou bacalhau entrado na barra desta vila.»
[MG, 341]

Afinal a Monografia da Gafanha também se debruçou sobre a pesca do bacalhau ao longo dos tempos e fê-lo com tal rigor que muitos estudiosos se servem das suas fontes e águas cristalinas para as suas navegações.
Assim sendo, curvo-me, mais uma vez, mui respeitosamente, perante esta fígura que deixou marcos perenes a balizar as nossas memórias. Saibamos nós ser dignos seguidores do seu espírito de busca e de pesquisa e consigamos exprimir-nos com a sua humilde exactidão.

Manuel
 O que é? | partilhar

mais sobre mim
Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16



arquivos
as minhas fotos
pesquisar neste blog
 
Contador - 1
blogs SAPO